Assessoria de Comunicação Social

Clipping de 30/Jan/2009 Pág. 19
Editoria: POLÍTICA

Anexo
Presidente do TRT pede desculpas por polêmica criada
Com o gesto do presidente do TRT, José Antônio Parente da Silva, a polêmica nomeação do anexo do Fórum Autran Nunes, que se chamará mesmo dom Helder Câmara, parece ter chegado ao fim. O caso abriu uma crise entre dois ex-presidentes do tribunal

Erivaldo Carvalho - da Redação

O presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região (TRT7), desembargador José Antônio Parente da Silva, pediu desculpas pela polêmica criada em torno da nomeação do prédio do Anexo II do Fórum Autran Nunes, no Centro da Cidade. Em nota publicada no site do TRT7, na última quarta-feira, 28, o magistrado lamenta o imbróglio envolvendo o imóvel da Justiça do Trabalho e o nome do sacerdote cearense dom Helder Câmara (1909-1999).

"O TRT 7ª Região pede sinceras escusas (desculpas) pela celeuma provada e reafirma sua crença no espírito democrático e na profunda sabedoria dos que fazem a Justiça do Trabalho em nosso Estado”, diz Parente.

A “celeuma” a que o presidente se refere começou depois da conclusão da obra, em 2007. A então presidente do TRT7, desembargadora Dulcina Palhano, sugeriu que o anexo passasse a se chamar Edifício dom Helder Câmara.

No dia 20 de janeiro, no entanto, uma votação entre os desembargadores retirou o nome do bispo, rebatizando-o de Antonio Marques Cavalcante, uma referência ao ex-presidente do TRT7. A informação foi publicada, com exclusividade, pela coluna Vertical, do O POVO, no dia seguinte (21).

No último dia 27, aconteceu outra reviravolta, e o prédio voltou a se chamar dom Helder. Situado na avenida Tristão Gonçalves, 912, o prédio tem nove andares e cerca de 8,5 mil metros quadrados, por onde são distribuídas as varas da 1ª instância.

A primeira mudança do nome - de dom Helder para Antonio Marques - foi motivada pela ausência de procedimentos formais para a denominação, segundo diz a nota assinada pelo atual presidente do tribunal.

Segundo o documento, teria havido apenas uma “proposta verbal” para a nomeação, o que resultou em “flagrande desacordo” com o que diz a resolução 52 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).


Atritos

O episódio acabou abrindo uma divisão, entre Dulcina Palhano e o também ex-presidente Antonio Marques. Ela nega que não tenha seguido os procedimentos formais. Já Marques, que comandou o início da obra e é filho do ex-presidente Marques Cavalcante, diz que a nomeação será apenas um letreiro na parede.
“Esse prédio não tem nome oficial”, critica.

FALE COM A GENTE - erivaldo@opovo.com.br


ENTENDA O CASO

2005

Na gestão do então presidente do TRT7, Antonio Marques Filho, é iniciada a construção do anexo II do Fórum Autran Nunes.

2007

Na administração seguinte, de Dulcina Palhano, a obra é concluída. Ela sugere que o prédio ganhe o nome de dom Helder. A solicitação seria verbal.

20 DE JANEIRO

Por 4 votos a 3, a denominação do anexo muda. Sai o nome de dom Helder Câmara. Entra o do ex-presidente Antonio Marques Cavalcante.

27 DE JANEIRO

Outra votação, também por 4 a 3, retoma o nome original.

28 DE JANEIRO

O atual presidente do TRT7, José Antonio Parente da Silva, pede desculpas pela “celeuma” e reafirma o nome de dom Helder Câmara para o anexo.


Retorna à Página Anterior
Retorna à Página Inicial