09 de junho de 2014

MPT-CE participa de evento contra o trabalho infantil em Maranguape

O momento integra a campanha “Todos Juntos Contra o Trabalho Infantil” e marca a inauguração de um projeto municipal que visa apoiar as escolinhas de futebol da cidade. Maranguape possui cerca de 730 crianças e adolescentes, entre 10 e 15 anos, em situação de trabalho infantil

Cerca de mil pessoas se reuniram no último sábado (7/6) no Estádio Francisco Cardoso de Moraes (Moraisão), em Maranguape (CE), a fim de levantar o cartão vermelho contra o trabalho infantil. O Ministério Público do Trabalho no Ceará (MPT-CE), representado pelo procurador-chefe, Antonio de Oliveira Lima, marcou presença no evento, além de autoridades do município, como o prefeito Átila Câmara e a secretária da Educação Lindalva Pereira.

A festa no Moraisão faz parte das mobilizações da Semana Cearense de Combate ao Trabalho Infantil, que vem acontecendo desde o dia 2 de junho em todo o Estado e tem como principal ação a campanha “Todos Juntos contra o Trabalho Infantil”, realizada pelo MPT-CE. O evento marcou o lançamento de um projeto da Prefeitura Municipal de Maranguape, por meio da Fundação Viva Maranguape de Turismo, Esporte e Cultura (FITEC), que consiste em assistir escolinhas de futebol da cidade. Dessa forma, cerca de 700 crianças e adolescentes receberão uniformes, chuteiras, entre outros equipamentos para prática do esporte. Para muitas delas, aquele sábado foi primeira vez que colocaram os pés no gramado do Estádio Municipal.

O procurador-chefe do MPT, Antonio Lima, ficou bastante entusiasmado com evento em Maranguape e destacou a importância do investimento em esporte como um forte auxílio na luta pela irradicação do trabalho infantil. “Estou muito feliz em ver um município em que há uma mobilização das autoridades e de todos os setoriais para a promoção de um evento como esse. E para o Ministério Público do Trabalho é muito gratificante ver a realização desse projeto”, considerou.

O evento foi prestigiado por uma série de atrações culturais realizadas por crianças e adolescentes de Maranguape. Entre as apresentações estiveram as bandas de fanfarras e os ganhadores municipais do prêmio Programa de Educação contra a Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente (Peteca), nas categorias música, cordel e conto. As pinturas inscritas no prêmio também estiveram expostas no Estádio.

O Peteca foi desenvolvido pelo MPT-CE, em parceria com as Secretarias Estadual e Municipais de Educação, e tem por objetivo sensibilizar os profissionais da educação e demais setores quanto à necessidade de erradicar o trabalho infantil e proteger o trabalhador adolescente. Durante o evento, o procurador-chefe do MPT-CE elogiou o bom funcionamento do programa em Maranguape. “Todas as secretarias (do município) estão aqui para dar um cartão vermelho para o trabalho infantil. Hoje, com todas as letras, Maranguape diz não ao trabalho infantil”, declarou Antonio Lima.

A festa foi marcada também por homenagens. Uma delas foi para o procurador-chefe do MPT-CE, Antonio Lima; outras foram para cidadãos maranguapenses que se destacaram no futebol profissional, como os jogadores Bechara e Éverton, este atualmente joga pelo Joinville (PR). Por fim, foram prestadas honrarias ao prefeito da cidade, Átila Câmara, pela inciativa do projeto com as escolinhas de futebol (uma proposta de sua campanha) e o cuidado especial para com as políticas de Educação no município. De acordo com o gestor, Maranguape possui hoje 2.167 crianças em tempo integral nas escolas e creches. A Prefeitura está entregando ao município quatro novos ginásios poliesportivos para incentivar ainda mais a prática de esportes.

Números do Trabalho Infantil em Maranguape

Maranguape é um munícipio da Região Metropolitana de Fortaleza cujo número de habitantes é de 115.464, de acordo com o censo de 2011 feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Também segundo IBGE, porém referente ao levantamento de 2010, o município possui 730 crianças e adolescentes, na faixa de 10 a 15 anos, em situação de trabalho infantil, a maioria das quais (324) realizando atividades no campo. Os números colocam a cidade serrana entre os 65 municípios cearenses que apresentaram alta incidência de trabalho infantil.

Em 2011, o Ceará possuía 206 mil crianças e adolescentes trabalhando irregularmente. No ano seguinte eram 173 mil. Os números são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) realizada pelo IBGE, realizada em 2012. Ainda segundo o levantamento, a Região Metropolitana de Fortaleza era a que possuía o maior índice de crianças entre 10 e 14 anos trabalhando, entre as nove regiões pesquisadas. Eram mais de 10 mil crianças submetidas ao trabalho infantil. A pesquisa do IBGE levou em consideração as regiões metropolitanas de Belém, Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.


Outras informações: Assessoria de Comunicação Social da PRT-7ª Região
Jornalista responsável: Elton Viana – Tel.: (85) 3462-3462 - Reg. Prof. CE 1281 JP